Por que Satanás Crucificou Jesus? - O porquê (Parte 1)

23/03/2017 12:11

                   

Os mistérios que envolvem a criação deste mundo, do homem e do seu sofrimento são muitos, alguns, tais como a questão do porquê do sofrimento humano já foram comentados por nós em outros artigos (1), mas existe uma pergunta que ainda intriga muitos teólogos:
Por que Satanás Crucificou Jesus?
E nesta série de artigos procuraremos avançar com uma explicação que leve a um melhor entendimento do porquê, e de tudo que está em jogo na guerra espiritual a que todos estamos sujeitos neste mundo.
Primeiramente interessa dizer que nem sequer foi Satanás que diretamente crucificou Jesus e sim o homem, que manipulado por ele lhe deu o poder para tal. Mas uma vez que o homem foi instigado, consideramos satanás o principal responsável deste ato vil e injusto.
Satanás o mentor da conspiração que levou à crucificação
Satanás foi parte integrante da traição, prisão, tortura e execução de Jesus. Durante a última ceia de Jesus com seus discípulos, Satanás entrou em Judas para trair Jesus (Jo 13: 2, 27, Lc 22: 3). Apocalipse 12 nos diz que Satanás estava ansioso para colocar suas mãos em Jesus, para que pudesse "devorá-lo" (Apocalipse 12: 4).
A pergunta é simples: Porquê?
Se a morte de Jesus acabou por provocar a derrota de Satanás (1 Jo 3: 8 e Col. 2: 14-15), por que Satanás faria isso? Como já vimos, Satanás é um ser notavelmente inteligente. Porque seguiria ele com o plano de matar Jesus, se isso levaria à sua derrota definitiva?
Diferentes explicações
Os teólogos oferecem pelo menos três razões diferentes para explicar por que Satanás crucificou Jesus:
(1) Satanás o SUBMISSO.
Os da tradição Reformada frequentemente argumentam que Satanás crucificou Jesus, porque Deus é soberano e o fez assim agir (Atos 2:23). Não cremos em tal hipótese pois Deus está envolvido em uma guerra com as trevas pela salvação das almas dos homens respeitando o seu livre arbítrio de forma a que se comprove a sua justiça. Dessa forma não é crível ter manipulado o livre arbítrio de Satanás.
(2) Satanás o SÁDICO.
Uma vez que Satanás é um déspota psicopata, assassino e sanguinário (Apocalipse 12: 4, João 8:44), talvez ele simplesmente não se conseguisse controlar. Embora ele soubesse que a crucificação de Jesus abriria o céu para a humanidade, talvez ele simplesmente não resistisse a torturar e matar o Filho de Deus. Embora tal seja em parte verdade, não nos parece que satanás sendo tão calculista em tudo que faz pusesse tudo a perder apenas por um desejo sanguinário que lhe traria a derrota.
(3) Satanás, o SALTEADOR
Sob este ponto de vista, Satanás pensou que poderia segurar Jesus na morte, mas subestimou o poder de sua ressurreição (Hb 2:14). Hipótese também pouco provavel pois Satanás sabia que jamais Deus Pai deixaria um justo na morte eterna.
 
Todas estas três teorias são certamente plausíveis mas, como veremos, impossíveis face ao contexto geral das escrituras. Assim existe uma derradeira possibilidade que tem mais poder explicativo do que todos as outras:

SATANÁS, O AMARRADO!

Satanás não sabia o que aconteceria se ele crucificasse Jesus e se viu num beco sem saída face à recusa de Jesus em pactuar com seu reinado neste mundo!
Vamos olhar atentamente para essa hipótese aqui.
Não poderia Satanás ter lido as profecias sobre Jesus no Antigo Testamento?
Certamente as profecias sobre a vinda de Jesus no AT são abundantes e Satanás definitivamente as conhecia. Na verdade, vemos Satanás citando as Escrituras de memória em suas interações com Jesus (Mt 4, Lc 4). Assim, a questão não é se Satanás estava ciente dessas previsões. Em vez disso, a questão é se ele as compreendeu. Satanás esperava que Jesus viesse como o Servo Sofredor, ou ele esperava um Rei Conquistador, como todos os judeus da sua época (Jo 6:15)?
Temos que ter noção que Satanás era o legítimo governador deste mundo e as almas humanas lhe pertenciam legalmente (Lc 4:6) – saiba porquê em (2)
Mas Satanás também sabia que as forças da Luz lhe fariam guerra pela salvação das almas que por ele foram enganadas. Guerra essa travada de uma forma que não contrariasse a própria natureza da Luz, isto é, a justiça, a verdade e o respeito pela escolha humana. Assim a Luz não mentiria, mas poderia ocultar a sua estratégia de guerra às trevas, dessa forma Satanás apenas poderia especular qual seria o plano de assalto ao seu reino de trevas, injustiça e mentira.
Messias - O servo sofredor
E a verdade é que ninguém antes de Jesus nascer acreditava que o Messias viria a morrer antes que viesse a governar a Terra, na verdade isso ainda hoje é descartado por alguns judeus. Não encontramos nenhum comentarista extrabíblico que acreditasse que a profecia de Isaías 53 se referia à morte e ressurreição do Messias. O estudioso do Novo Testamento George Ladd escreve: "Judaísmo antes de Cristo nunca interpretou [Isaías 53] como referindo-se aos sofrimentos do Messias." [1] Estudioso do Novo Testamento D.A. Carson concorda: "Não parece haver uma fonte pré-cristã inequívoca no Judaísmo que identifique o Servo Sofredor de Isaías 53 como o Messias antecipado ". [2] Mesmo o crítico Bart Ehrman concorda:" Não temos um único texto judaico antes do tempo de Jesus que interprete a passagem messianicamente ". [3]
 Isaías 53
Isso não nos deve surpreender. Mesmo durante a vida de Jesus, as pessoas ao seu redor não entenderam o propósito de sua missão na Terra.
As multidões: Quando Jesus lhes disse que ele seria "levantado" na Cruz, o povo disse: "Ouvimos da Lei que o Messias deve permanecer para sempre; E como podes dizer: "O Filho do Homem deve ser levantado"? Quem é este Filho do Homem? " (Jo 12:34).
Pedro: Na última ceia, quando Jesus disse aos discípulos que estava indo embora, Pedro disse: "Senhor, aonde vais?" (Jo 13:36, cc 14.17-18)
João Batista: Enquanto João Batista era o homem mais justo na Terra - ao lado do próprio Jesus (Mt 11:11), mesmo ele foi incapaz de compreender plenamente a missão de Jesus. Enquanto chamava Jesus "O Cordeiro de Deus que vem tirar o pecado do mundo" (Jo 1, 29, 36), ele também estava muito confuso sobre a identidade de Jesus mais tarde na vida. De fato, mais tarde, ele até enviou mensageiros para discernir se Jesus era mesmo o Messias em tudo (Mt 11: 2-3).
Mesmo que Jesus tenha explicitamente ensinado sobre sua morte e ressurreição (Lucas 18: 31-33), Lucas regista: "Os discípulos não entendiam nenhuma dessas coisas, e o significado dessa declaração lhes estava oculto, e não compreendiam as coisas que foram ditas "(Lc 18:34). Foi só depois que ressuscitou dos mortos que Jesus "abriu suas mentes para entender as Escrituras" (Lc 24: 45-47). Enquanto as passagens sobre o Servo Sofredor são cristalinas após a Cruz, elas eram misteriosas antes. Por um lado, o Servo Sofredor é anónimo, e ele nunca é explicitamente chamado de Messias. Para os leitores antes do tempo de Cristo, essa conexão nunca foi feita.
O próprio Jesus nos deixa uma pista nas escrituras de que com certeza a estratégia aqui exposta de "assalto ao reino de satanás" foi a utilizada:
"Assim o homem forte tem de ser amarrado antes da sua casa poder ser ocupada e da sua propriedade tomada."
Marcos 3:27
E quanto a Satanás?
Satanás é extremamente inteligente, mas tal como os intérpretes humanos incrédulos, ele não teria entendido essas predições antes da cruz. Acreditamos que os não-cristãos podem usar o método gramatical-histórico para interpretar as Escrituras, chegando às mesmas conclusões que os crentes. Mas quando se trata de compreender o plano de Deus e mistérios, estes são deixados apenas para os crentes a quem o Espírito Santo escolhe revelar. Por exemplo, em relação às suas próprias profecias, Daniel foi informado: "Aqueles que têm discernimento compreenderão" (Daniel 12:10). É por isso que Paulo escreve: "O homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, pois são loucura para ele; E ele não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente "(1 Coríntios 2:14). Tiago escreve que precisamos atuar sobre as verdades das Escrituras para realmente entender seu significado e valor (Tiago 1: 22-25).
Embora existam pessoas brilhantes no mundo de hoje, Deus revela sua verdade aos humildes de coração. Por isso, Jesus disse: "Eu te louvo, Pai, Senhor do céu e da terra, que escondeste estas coisas dos sábios e inteligentes e as revelaste aos humildes" (Mt 11,25).
Enquanto Satanás era certamente mais brilhante do que qualquer humano na Terra, ele é apenas mais uma criatura, ele não é onisciente ou onipresente (Jo 14:30). Assim, ele não entendeu o que Jesus estava planejando fazer, pois as escrituras do A.T. estavam escritas de modo enigmático e discernível apenas áqueles de coração limpo e a quem Deus quissesse revelar.
Satanás nunca esperaria que Deus fosse tão longe para salvar os humanos. Satanás é um egoísta, ele está à procura de sua própria glória, e assim, ele espera que todos os outros o façam também. Ele nunca esperaria que Jesus, que é Deus todo poderoso com o Pai na unidade do Espírito Santo, se glorificasse ao pendurar-se nu e sangrando numa cruz (Jo 17,1). Isso é antitético para tudo o que Satanás acredita, e isso o impediu até de considerar essa hipótese. Satanás foi apanhado completamente desprevenido para a vinda de um servo sofredor capaz de justificar por seu sangue todos os humanos!
Satanás em seu desejo egoísta de governar com seu sistema político enganoso denominado "ciência do bem e do mal" usou da mentira pensando que o poder das trevas transvestidas de luz fosse invencível e que jamais Deus pudesse arranjar uma forma de o vencer em seu próprio terreno de forma limpa e sem usar da força. Assim desde o seu golpe de estado falhado no céu, Satanás tem tentado ludibriar o homem afirmando que Deus é um Polícia Cósmico ou um Tirano Divino. Ele acusa Deus de ser um ditador, que está à procura de sua própria glória e adoração. Ele diz aos humanos que Deus é desamoroso, egoísta e tirânico.
Então quando da vinda do filho de Deus como homem na carne, satanás é confrontado com um problema insolúvel:
1) Ou ele leva Jesus a pecar, abandonar a sua missão e a aceitar o seu domínio, dando-lhe pleno poder na terra excepto sobre ele mesmo, coisa que tentou por diversas vezes:
E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe num momento de tempo todos os reinos do mundo.
E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória; porque a mim me foi entregue, e dou-o a quem quero. Portanto, se tu me adorares, tudo será teu.

Lucas 4:5-7
2) Ou ele é obrigado a eliminá-lo, mas com as consequências imprevisíveis do que se seguiria e que lhe eram de certa forma desconhecidas e talvez até em sua mente controláveis com mais mentiras. 

A Única hipótese

Então como satanás não consegue levar avante a primeira possibilidade, resta-lhe a segunda, pois deixar Jesus na terra a "roubar-lhe" cada vez mais almas, e consequentemente poder, não era hipótese nem para si, nem para os seus apoiantes, até porque sem pecar, a morte certamente não atingiria Jesus. Jesus devia ser eliminado o quanto antes, desde que Deus o permitisse. E Deus, que é soberano sobre a vida dos justos, o permitiria apenas numa hora, local e forma específica. E assim a Cruz de Cristo foi a vencedora final das acusações de Satanás!
As acusações de Satanás foram derrotadas na Cruz
Desde a Cruz, que as acusações de Satanás ficaram sem poder: Toda vez que nos perguntamos se Deus é um tirano, olhamos para a Cruz. Toda vez que pensamos que Deus é egoísta, olhamos para a Cruz. Sempre que considerarmos se Deus é um sádico controlador, olhamos para a Cruz. Depois da Cruz, vemos clara e inequivocamente que Satanás é o enganador - não Deus!
Satanás usa da mentira e assassinato para manter seu poder e reino, Deus por sua vez deu seu filho unigênito para que todo que nele crê não pereça mas tenha a vida eterna (Jo 3:16)!
Como resultado, as acusações de Satanás foram eternamente derrotadas. Na noite anterior à sua morte, Jesus previu que "o governante deste mundo será expulso" (Jo 12:31). Ao morrer na Cruz, Paulo escreve: "desarmou os governantes e autoridades, Ele fez uma exibição pública deles, tendo triunfado sobre eles através dEle" (Colossenses 2: 14-15). Através da Cruz, "nos livrou do domínio da escuridão e nos transferiu para o reino de Seu amado Filho" (Cl 1:13, ver Atos 26:18).
Jesus provou ser digno de toda a honra e toda a glória e levando sobre si todo o pecado da humanidade Ele justifica perante Deus e os anjos todos aqueles que Nele acreditem! Ele libertou ainda os crentes do medo da morte, que é uma das ferramentas essenciais de Satanás para oprimir os humanos (Hebreus 2: 14-15).
Assim enquanto Satanás será finalmente deposto na Segunda Vinda de Cristo, ele foi presentemente e universalmente derrotado, tirando-lhe suas acusações contra Deus e demonstrando o seu verdadeiro carácter.
E Por que Deus teve que passar por todos esses problemas?
Será isso o que analisaremos na próxima parte deste artigo.
Continua...
 

Referências:

(1) Porque Deus permite a tribulação e o sofrimento?
www.nunes3373eb.com/news/porque-deus-permite-a-tribulacao-e-o-sofrimento/
 
(2) A VERDADE
http://www.nunes3373.com/news/a-verdade/
 
Satanistas governam o mundo e não os políticos, banqueiros ou chefes militares
http://www.nunes3373.com/news/satanistas-governam-o-mundo-e-nao-os-politicos-banqueiros-ou-chefes-militares/
 
Fonte: 
Why Did Satan Crucify Jesus?