O inválido do tanque de betesda vs o cego de nascença - Não se pode servir a 2 senhores

25/10/2018 12:38
                     
 
Sobre o inválido de Betesda:
 
Depois Jesus encontrou-o no templo, e disse-lhe: Eis que já estás são; não peques mais, para que não te suceda alguma coisa pior.
E aquele homem foi, e anunciou aos judeus que Jesus era o que o curara.
E por esta causa os judeus perseguiram a Jesus, e procuravam matá-lo, porque fazia estas coisas no sábado.


João 5:14-16
 
Sobre o cego de nascença:
 
Chamaram, pois, pela segunda vez o homem que tinha sido cego, e disseram-lhe: Dá glória a Deus; nós sabemos que esse homem é pecador.
Respondeu ele pois, e disse: Se é pecador, não sei; uma coisa sei, é que, havendo eu sido cego, agora vejo.
E tornaram a dizer-lhe: Que te fez ele? Como te abriu os olhos?
Respondeu-lhes: Já vo-lo disse, e não ouvistes; para que o quereis tornar a ouvir? Quereis vós porventura fazer-vos também seus discípulos?
Então o injuriaram, e disseram: Discípulo dele sejas tu; nós, porém, somos discípulos de Moisés.


João 9:24-28
 
No evangelho de João temos 2 relatos diametralmente opostos no que concerne à reação do ser humano a Jesus. Em ambos os casos Jesus efetua curas em indivíduos que posteriormente têm posições muito diferentes relativamente à gratidão devida ao Mestre e isso nos importa de forma a podermos também avaliar como nós mesmos nos comportamos, se mais como um ou como outro.
 
1- O inválido do tanque de Betesda
A cura do inválido no tanque de betesda é uma história rica em ensino e que abrange várias vertentes. Anteriormente já tínhamos analisado a questão das crenças do inválido, como estas o aprisionavam e como Jesus o libertou:
Veja aqui:
O inválido do tanque de betesda

Leia mais: 
 http://www.nunes3373eb.com/news/o-paralitico-do-tanque-de-betesda-o-problema-das-supersticoes/

 

 
Vamos agora ver o que posteriormente à cura aconteceu com o homem que foi curado e as escolhas que este fez.
Resumindo a história, este homem estava inválido há 38 anos esperando uma cura milagrosa e um dia essa cura apareceu por intermédio de Jesus. Tendo sido feita ao sábado quando essa cura foi conhecida pelos fariseus estes inquiriram sobre quem a teria feito de forma a acusar o autor de crime contra a lei. Mas o homem curado não sabia o nome de quem o curou.
E conforme podemos ver na passagem acima, posteriormente à cura, Jesus voltou a encontrar o homem no templo e o advertiu sobre não voltar a pecar. Ora o indivíduo em vez de se prostrar e agradecer ao mestre a cura da enfermidade que o condicionou durante 38 anos, foi por sua vez denunciar e entregar Jesus aos fariseus que perseguiam o Senhor e tentavam arranjar motivos para o matar.
 
Mas por que esse homem fez isso?
Infelizmente a ingratidão e a memória curta são defeitos humanos, mas neste caso existe mais do que isso.
Já tínhamos percebido que esse homem era alguém religioso e também acreditava em crendices pois esperava no tanque de betesda onde se cria que um anjo efetuava milagres (veja a parte 1), agora vemos o homem no templo, ou seja ele era alguém religioso.
Mas ser religioso não é sinónimo de verdadeira adoração e sinceridade para com Deus. Esse homem quando voltou a encontrar Jesus foi de imediato denunciá-lo às autoridades religiosas e isso só pode ter ocorrido porque lhes quis agradar em vez de agradar a Jesus, que o curou. Afinal os fariseus é que detinham o poder e o status aos olhos do povo, Jesus era visto pelas autoridades apenas como mais um causador de problemas e pelos vistos esse homem não quis também essa conotação, ele preferiu ter o favor dos fariseus.
Mas essa era a altura em que o homem teria que escolher entre Jesus e o mundo, ou seja entre a verdade que nos traz muitas vezes problemas ou estar de bem com os poderes e autoridades humanas. Neste caso o homem decidiu por informar as autoridades denunciando Jesus, ele escolheu o mundo...
 
2- O cego de nascença
O cego de nascença era um homem já adulto (João 9:21), logo era também cego já há muitos anos tal como há muitos anos o inválido do tanque de betesda o foi, mas contrariamente a este, o cego nasceu cego e não foi devido ao pecado que assim se tornou e teoricamente até se poderia sentir injustiçado face a Deus.
Mas a verdade é que quando Jesus o curou este cego exultou e Lhe foi grato.
Mais tarde, tal como o inválido, foi abordado pelos fariseus que pretendiam obter pormenores para incriminar Jesus (uma vez que a cura também tinha sido feita ao sábado). Mas contrariamente ao ex-inválido este homem decidiu confrontar os fariseus com a verdade e grandiosidade da sua cura, não quis saber de poder ser bem visto e aceite pelas autoridades e não pactuou com intrigas ou esquemas para implicar Jesus em qualquer delito.Ele afrontou o sistema em vez de pactuar com ele!
 
 

2 casos semelhantes, duas atitudes opostas

 
A Bíblia/João não nos tece uma opinião direta sobre a atitude de cada um destes homens cabendo ao leitor tirar as suas conclusões.
Quanta a nós vemos que em dois casos que lidamos com indivíduos deficientes as atitudes dos mesmos são muito diferentes. Se num, o homem apesar de ter sido curado por Jesus preferiu agradar aos seus perseguidores de forma a ganhar o favor destes, no outro (que teria até mais razões de queixa pois já nasceu cego e não tinha pecado para tal coisa) vemos alguém que acima de tudo valorizou a sua cura, decidiu não ter medo de testemunhar o que Jesus fez por ele, mostrando a sua gratidão. E devido a tal o ex-cego acabou expulso da sinagoga (João 9:35), ou seja do sistema religioso judaico, uma grave ofensa para um judeu.
Muitos ao longo da história também escolheram seguir Jesus e isso trouxe-lhes problemas, perseguições, foram excomungados das sinagogas e igrejas e até mortos. Mas outros preferem estar conciliados com o sistema mundano buscando o seu status social e conforto material, dessa forma se opõem a Jesus que é no fundo a antítese do sistema religioso e social humano, que tem por base as intrigas e a hipócrisia dos poderosos.
E isto é algo que sempre acontece em algum momento da nossa vida: escolher entre Jesus ou o sistema humano. É impossível agradar a ambos!
 
O cego de nascença afrontou sem medo o sistema por ter crido em Jesus e fez o que é certo, o inválido de betesda preferiu ter o favor dos homens e do sistema do que valorizar Jesus.
 
 

E VOCÊ COM QUEM SE ASSEMELHA?

 
E podemos até achar o ex-inválido um traidor e ingrato para com Jesus, mas quantos ainda hoje se calam ou até mesmo se colocam contra os seus ensinamentos ou contra quem os prega apenas para estar “de bem” com a sua igreja, religião ou parceiros sociais? Será que nós hoje estamos dispostos a nos opormos ao sistema e às regalias sociais por Jesus?
Sim, porque não nos enganemos irmãos, esta escolha é feita por nós em algum momento da nossa vida e será que estamos dispostos a ser “excomungados” como foi o cego de nascença ou preferimos estar de bem com o mundo e manter as regalias tal como fez o inválido de betesda?
No campo religioso uma grande maioria das igrejas está cheia de hipocrisia, falsa doutrina e dogmas religiosos que diretamente se opõem aos ensinos de Jesus. É necessário que o crente se oponha e não pactue com isso, pois caso contrário estará se comportando como o homem que traiu Jesus apenas para agradar ao “sistema”.
Eu geralmente não recomendo a ninguém sair da igreja onde congrega (desde que esta tenha uma base cristã), mas sempre aconselho a se opor a tudo que seja errado ou falsa doutrina, tentando corrigir a mesma. Mas muitas vezes esse procedimento poderá trazer problemas e nesse caso devemos nos manter fieis a Jesus e não à religião.
 
E nas questões sociais, estamos nós dispostos a romper com os escarnecedores, com a corrupção e com as comodidades materialistas ilícitas e ao invés fazer o que é certo e dar bom testemunho do Mestre? Será que realmente já o fizemos? Com quem nos assemelhamos, com o cego que agora vê ou com o inválido que passou a andar mas que afinal ainda é cego?
Pois é meus amigos a escolha de ser como um ou outro é nossa e deve ser feita o quanto antes pois realmente não se pode amar a dois senhores!
 
 
Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.

Mateus 6:24