O cego de Jericó - Harmonização dos relatos (Parte 1)

22/11/2016 12:32
                             
E depois, foram para Jericó. E, saindo ele de Jericó com seus discípulos e uma grande multidão, Bartimeu, o cego, filho de Timeu, estava assentado junto do caminho, mendigando.
E, ouvindo que era Jesus de Nazaré, começou a clamar, e a dizer: Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim.
E muitos o repreendiam, para que se calasse; mas ele clamava cada vez mais: Filho de Davi! tem misericórdia de mim.
E Jesus, parando, disse que o chamassem; e chamaram o cego, dizendo-lhe: Tem bom ânimo; levanta-te, que ele te chama.
E ele, lançando de si a sua capa, levantou-se, e foi ter com Jesus.
E Jesus, falando, disse-lhe: Que queres que te faça? E o cego lhe disse: Mestre, que eu tenha vista.
E Jesus lhe disse: Vai, a tua fé te salvou. E logo viu, e seguiu a Jesus pelo caminho.

Marcos 10:46-52
 
Iniciamos aqui uma série de dois artigos onde abordaremos a cura do cego Bartimeu nas imediações de Jericó. Nesta primeira parte faremos a harmonização dos relatos dos três evangelhos que mencionam este episódio, na segunda  e terceira analisaremos a mensagem mais profunda que esta passagem nos revela.
 

Harmonização de relatos

Como já por diversas vezes referimos, quando os diferentes evangelistas nos relatam o mesmo episódio e se denotam algumas diferenças isso não significa que sejam contradições. Um mesmo episódio quando relatado por diferentes pessoas nunca vai ser contado da mesma maneira, aliás esse fato permite ter uma visão mais ampla do relatado.
No caso da Bíblia os céticos apressam-se sempre a considerar essa diferenças como contradições e por isso vamos explorar as diferenças entre os relatos e ver como tal está longe de ser verdade. Aliás no evangelho quando temos o mesmo relato em vários livros isso significa que o mesmo tem uma profunda lição espiritual por trás da história aparente.
 

As diferenças nos relatos

Antes de ler o resto deste artigo, seria bom ler três relatos (da versão Almeida) da cura dos cegos em Jericó:
http://www.estudosdabiblia.net/bd15_08a.htm
 

Um ou dois cegos?

A primeira diferença envolve o número de cegos. Mateus, a única testemunha ocular que relata a cura, cita dois, mas não menciona seus nomes (Marcos e Lucas escreveram os seus relatos mediante investigação da vida de Jesus). Lucas fala de um cego e também não cita seu nome. Marcos menciona apenas um, e especificamente identifica o cego pelo nome Bartimeu.
Esta diferença é uma contradição? É claro que não. Vamos ilustrar. Eu frequentemente viajo acompanhado pela minha mulher. Três pessoas poderiam falar a verdade sobre determinada viagem com relatos diferentes mas não contraditórios. Uma pessoa poderia dizer que “um casal veio aqui”, enquanto outra daria destaque à minha pessoa e diria “um homem nos visitou”. Uma outra pessoa poderia se referir à minha mulher e dizer: “A fulana de tal passou aqui”. Todas estariam falando a verdade, mas relatando fatos de uma maneira diferente. 
Conclusão: Jesus curou dois cegos, um deles conhecido pelo nome Bartimeu que foi o mais relevante para a história.
 

À entrada ou saída de Jericó?

 Panorama de Jericó
 
A segunda diferença aparenta ser um pouco mais complexa, mas ainda não chega a provar uma contradição. 
Onde foi feita a cura - na chegada ou na saída de Jericó? 
Mateus e Marcos dizem que Jesus estava saindo de Jericó quando encontrou o(s) cego(s), mas Lucas na tradução analisada diz:Aconteceu que, ao aproximar-se ele de Jericó...” (18:35). Para negar uma contradição, precisamos apenas achar uma explicação plausível dos fatos relatados. Neste caso, há pelo menos duas:
Uma delas envolve um fato histórico de existirem na época de Jesus a antiga cidade de Jericó e ao mesmo tempo, uma nova Jericó construída por Herodes o Grande. O livro Bible Then & Now (A Bíblia, Ontem e Hoje) afirma: “Na época do Novo Testamento, Jericó tinha sido reconstruida a cerca de uma milha (1,6 quilometro) ao sul da cidade antiga. Herodes, o Grande, havia construído um palácio de inverno ali.” 
Isso é confirmado pelo livro Archaeology and Bible History (A Arqueologia e a História Bíblica), que diz: A Jericó do tempo de Jesus era uma cidade dupla. A antiga cidade judaica ficava a cerca de uma milha da cidade romana.”
Assim, Jesus talvez tenha realizado o milagre quando estava saindo da cidade judaica e se aproximando da cidade romana ou vice-versa. Portanto, fica claro que conhecer as circunstâncias que existiam no tempo da escrita dos acontecimentos ajuda a esclarecer o que poderia parecer uma aparente contradição.
 
A Tradução
A outra tem haver com a interpretação da tradução. Mateus e Marcos são ambos muito claros onde isso ocorreu "... saiu de Jericó ..." O ekporeuomai palavra grega usada, significa literalmente, para afastar ou sair. Lucas não usa a mesma palavra, mas usou o eggizo palavra grega, que muitas vezes é traduzida como "próximo" ou "à mão". A palavra pode referir-se a abordagem em um local, mas igualmente pode simplesmente indicar a proximidade de um lugar. Em Marcos 11:1, a mesma palavra é usada, não para dizer que Jesus estava entrando em Jerusalém, mas para indicar que ele estava perto de Jerusalém, pois Ele estava em Betfagé e Betânia:
 
Estando próximos (Mesma palavra de Lucas=eggizo) de Jerusalém, perto de Betfagé e de Betânia, junto ao Monte das Oliveiras, Jesus enviou dois dos seus discípulos.
Marcos 11:1-Tradução dos monges capuchinhos
http://www.capuchinhos.org/biblia/index.php?title=Mc_11
 
Infelizmente não são muitas as traduções em português que levam em linha de conta esta possibilidade de tradução permitindo ao cético limitado levantar falsas questões. Mas sem dúvida que contextualmente ela é correta, tanto que versões em outras linguas têm essa possibilidade, vejamos por exemplo a versão traduzida para o Inglês por John Darby:
"And it came to pass when he came into the neighbourhood of Jericho, a certain blind man sat by the wayside begging."
http://biblehub.com/dbt/luke/18.htm
 
Traduzido:
"E aconteceu que, quando ele veio para a vizinhança de Jericó, um cego sentado à beira do caminho, mendigando." 
 
Ou seja aqui nem diz que entra nem que sai, apenas que estava na vizinhança de Jericó. E nós pensamos que essa é a correta tradução a dar ao texto.

Dessa forma vemos que seja pela opção 1 ou 2, é impossível ver qualquer contradição nesta passagem.

Na parte 2 iremos mais a fundo na análise ao significado deste milagre efetuado por Jesus.
Continua...
 

Fontes:

Os relatos da cura dos cegos em Jericó se contradizem?
http://www.estudosdabiblia.net/bd15_08.htm
Quando foi o homem (ou homens) curado?
 https://bibliacomentada.com/ContradicoesDetalhes.aspx?IdContradicao=623
Você sabia? Jericó — uma cidade ou duas? 
http://sentircomaigreja.blogspot.pt/2011/03/voce-sabia-jerico-uma-cidade-ou-duas.html