Jesus caminha sobre as águas - O significado profundo

27/09/2021 14:57
                         
 
Logo a seguir, compeliu Jesus os seus discípulos a embarcar e passar adiante para o outro lado, a Betsaida, enquanto ele despedia a multidão.
E, tendo-os despedido, subiu ao monte para orar.
Ao cair da tarde, estava o barco no meio do mar, e ele, sozinho em terra.
E, vendo-os em dificuldade a remar, porque o vento lhes era contrário, por volta da quarta vigília da noite, veio ter com eles, andando por sobre o mar; e queria tomar-lhes a dianteira.
Eles, porém, vendo-o andar sobre o mar, pensaram tratar-se de um fantasma e gritaram.
Pois todos ficaram aterrados à vista dele. Mas logo lhes falou e disse: Tende bom ânimo! Sou eu. Não temais!
E subiu para o barco para estar com eles, e o vento cessou. Ficaram entre si atônitos,
porque não haviam compreendido o milagre dos pães; antes, o seu coração estava endurecido.


Marcos 6:45-52
 
Como sempre em nosso trabalho gostamos de ir um pouco mais além na análise dos ensinamentos bíblicos. E também esta passagem, que numa abordagem simplista nos mostra o absoluto poder de Jesus sobre os elementos terrenos, tem um significado profético mais profundo para a vida da igreja de extraordinária importância.
 

A Simbologia bíblica

Antes de mais é importante ter noção que para entendermos melhor a profundidade das passagens é necessário compreender a simbologia dos elementos bíblicos. Nesta passagem temos alguns elementos que merecem a nossa atenção:
1- O barco que como símbolo litúrgico representa no novo testamento a igreja cristã, ele é um símbolo utilizado para representar a igreja de Cristo. Jesus chamou discípulos do meio de pescadores e o próprio Jesus utilizava barcos em suas andanças e missão (Lc 5.3). Em alguns paramentos, o mastro do barco é, por vezes, retratado em forma de cruz, enfatizando, assim, o senhorio de Cristo na igreja.
2- O mar, por sua vez representa um lugar de forças ocultas, sinal de kaos, lugar da presença dos inimigos de Deus, representa também a multidão humana das nações gentílicas alheias e/ou em oposição a Deus.
 

Introdução

Tendo essa percepção é nosso entendimento que essa experiência tem um apontamento profético muito importante para a vida da igreja. É interessante dizer que essa travessia teve início logo após a primeira multiplicação dos pães e o propósito daquela travessia era que os discípulos chegassem do outro lado.
Eles começaram a travessia sem a presença física de Jesus, porque Jesus multiplicara os pães e os peixes e subiu ao monte para orar e ordenou que os discípulos atravessassem de barco para a outra banda e assim foi feito. Num dado momento daquela travessia, o mar se agitou com o vento contrário que atingiu o barco e as ondas começaram a açoitá-lo e os discípulos estavam ali. Quando chegou a quarta vigília da noite, O Senhor Jesus dirigiu-se para eles caminhando por cima do mar.
 

Desenvolvimento

Essa experiência é profética, aconteceu fisicamente com os discípulos há muitos anos atrás, mas ela está acontecendo hoje espiritualmente, profeticamente, com a igreja fiel, porque nós estamos numa travessia neste mundo enquanto Jesus subiu ao alto dos céus (vemos aqui a simbologia de Jesus ter subido ao monte para orar).
O Pão, foi multiplicado, porque Jesus foi ou é o pão vivo que desceu do céu, que foi partido por cada um de nós e a sua morte e ressurreição, foi o partir do Pão que foi dado ao mundo e que até hoje alimenta o mundo com o alimento da eternidade. Posteriormente e por ordem direta de Jesus, a igreja (verdadeiros crentes em Jesus) começou a sua caminhada, a sua jornada evangelística, para o outro lado, e o outro lado é a Eternidade.
É para lá que estamos indo e agora neste final de jornada, os ventos contrários aparecem, o açoite das ondas surge e isso profeticamente, nos fala da oposição do mundo à igreja ou mesmo o princípio de dores que o evangelista Mateus deixou registado no capítulo 24 parte 2 versículo 6 e Lucas no capítulo 21 a partir do verso 5.
Ali, o princípio das dores estava ou está profetizado, e a igreja que se encontra no mundo, inserida nas nações (mar) em missão evangelística está vivendo hoje o princípio de dores que é o agitar das ondas, o vento contrário que tenta impedir a mesma de chegar ao seu destino.
 

A quarta vigília da noite

Sendo assim irmãos, não precisamos ter medo, porque está profetizado na Palavra, o Senhor Jesus apareceu no momento exato. Ele não apareceu na primeira vigília, nem na segunda, nem na terceira, Ele surgiu na quarta vigília da noite, e porquê nesta vigília?
A ‘quarta vigília da noite’ tem algum significado? Que vigília é esta? 
Nos tempos de Jesus, os Romanos dividiam a noite em quatro vigílias. A primeira vigília das 6:00 às 9:00 da noite, a segunda vigília das 9:00 às 12:00 (meia-noite), a terceira vigília das 12:00 às 3:00 da manhã e a quarta vigília da noite das 3:00 às 6:00 da manhã.
É na quarta vigília que a noite se faz mais escura, as ondas mais revoltas e os ventos mais fortes em razão da proximidade do nascer do sol (o texto atesta esse fenômeno quando diz que neste período eles remavam com dificuldade “porque o vento lhes era totalmente contrário”). Foi na hora da noite mais densa, a quarta vigília da noite, que os discípulos enfrentaram o vento contrário no meio do mar. O ataque do poder das trevas se torna mais ativo e na sua plena força na 3a. vigília da noite e especialmente na 4a. vigília pois, pelo romper da manhã, a misericórdia do Senhor é nova.
Esse período representa então o tempo que antecede imediatamente a volta de Jesus a este mundo. Assim vemos que esse período será de grande força para o reino das trevas e de uma grande oposição à igreja remanescente.
 

Jesus queria tomar-lhes a dianteira

O evangelho nos mostra ainda a curiosa intenção de Jesus de passar à frente do barco. Muito embora não exista nenhuma explicação conclusiva do motivo pelo qual Ele tivesse o desejo de fazer isso, havia uma preocupação do autor bíblico em nos apontar esse fato, e isso parece mostrar que:
Primeiro: Jesus precisa estar à nossa frente, sempre! Quem vai à frente está conduzindo, apontando o caminho, orientando o ritmo e a velocidade. Se não deixarmos Jesus dirigir nossos passos, não existe esperança alguma de que chegaremos no porto seguro.
Segundo: Ao desejar ir à frente do barco, talvez Jesus quisesse nos dizer: sou poderoso o bastante para vos salvar de afundar e para vos libertar do poder da tempestade, coisa que na verdade Ele fez, mas será que nós estamos dispostos a que ele toma a dianteira no controle de nossas vidas e segui-lo por onde ele for?
 

Um fantasma?

“Eles, porém, vendo-o andar sobre o mar, pensaram tratar-se de um fantasma e gritaram.
Pois todos ficaram aterrados à vista dele. Mas logo lhes falou e disse: Tende bom ânimo! Sou eu. Não temais!”
Repare-se ainda que os discípulos apesar de verem Jesus andando sobre as águas e querendo ir à sua frente para lhes dirigir o caminho não o conheceram, diz a palavra que acharam que era “um fantasma”.
O medo, a provável superstição e a dureza dos seus corações não lhes permitiu ver o Senhor a caminhar sobre as águas (por cima do governo humano das nações e no controlo de todas as oposições) e na frente dos acontecimentos (nada se passa sem que Ele permita), eles acharam que Ele era apenas um fantasma, um espírito morto, mas a verdade é que Jesus VIVE E ESTÁ NO CONTROLO DOS ACONTECIMENTOS!
 

Conclusão

Vemos então que neste acontecimento relatado nas escrituras temos uma experiência profética da vida da igreja fiel.
Analisamos que no tempo final, imediatamente antes da chegada de Jesus, ventos e marés se levantarão com fúria contra o percurso da igreja e do cristianismo, isso representa o poder das trevas neste mundo em níveis nunca antes vistos (Nova Ordem Mundial-Governo do Anticristo), mas isso não nos deve amedrontar nem esmorecer pois Jesus caminha sobre as águas, dirige o caminho e controla as intempéries na hora certa, ELE ESTÁ NO CONTROLE!
Que o medo e a dureza de nossos corações não faça o mesmo que fez com a visão dos discípulos, achando que o Senhor é um fantasma. É necessário acreditar e ter fé que O SENHOR VIVE e vai à nossa frente na tormenta. Pregar o evangelho e alertar os homens para a verdade deve ser o nosso trabalho, prudentes, mas sem medo, pois o SENHOR ESTÁ NO CONTROLO e até o vento, o mar E O ANTICRISTO lhe obedecem!
 
 

Fontes:

 
NA QUARTA VIGÍLIA DA NOITE
https://salmo37.wordpress.com/2010/04/07/na-quarta-virgilia-da-noite/
 
A TUA VITÓRIA VEM PELO ROMPER DA MANHÃ
http://meditacoes-da-graca.com/index.php/2017/08/22/a-tua-vitoria-vem-pelo-romper-da-manha/
 
Jesus queria passar adiante do barco 
http://devocionais.amoremcristo.com/artigo/2786/jesus-queria-passar-adiante-do-barco/
 
Barco como símbolo litúrgico
https://www.luteranos.com.br/conteudo/barco-como-simbolo-liturgico
 
À quarta vigília da noite
https://www.portalrevelacao.com/minha-biblia/mensagens-n-t/a-quarta-vigilia-da-noite-mateus-1426-27/
 
VOCÊ PERCEBE JESUS COMO UM FANTASMA?
www.youtube.com/watch?v=B0klZtu09xg