E os ricos, será que podem entrar no Reino dos Céus?

11/08/2014 18:07
                       
Uma das dúvidas que frequentemente os estudantes da Bíblia têm é se os ricos materialmente poderão entrar no reino dos céus.
Esta dúvida surge devido a uma passagem em que um jovem importante e rico se dirige a Jesus perguntando ao Senhor o que terá que fazer para entrar no Reino de Deus e conquistar a vida eterna, esta passagem está presente nos evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas, vejamos a passagem relatada em Mateus:
 

“E eis que, aproximando-se dele um jovem, disse-lhe: Bom Mestre, que bem farei para conseguir a vida eterna?

E ele disse-lhe: Por que me chamas bom? Não há bom senão um só, que é Deus. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos.

Disse-lhe ele: Quais? E Jesus disse: Não matarás, não cometerás adultério, não furtarás, não dirás falso testemunho;

Honra teu pai e tua mãe, e amarás o teu próximo como a ti mesmo.

Disse-lhe o jovem: Tudo isso tenho guardado desde a minha mocidade; que me falta ainda?

Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, e segue-me.

E o jovem, ouvindo esta palavra, retirou-se triste, porque possuía muitas propriedades.

¶ Disse então Jesus aos seus discípulos: Em verdade vos digo que é difícil entrar um rico no reino dos céus.

E, outra vez vos digo que é mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus.”

Mateus 19:16-24
 
Ora é exactamente a última frase de Jesus que levanta as maiores dúvidas:

“E, outra vez vos digo que é mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus.”

Sem me debruçar pormenorizadamente sobre a expressão: “camelo pelo fundo de uma agulha”, que por si só já é intrigante, deixo no entanto a explicação que a palavra usada para camelo em Aramaico é Gamla e da forma como ela é escrita sem vogais - pois o Aramaico não possui vogais - tanto pode indicar camelo como corda, podendo ser essa a explicação da expressão, embora existam outras teorias. Mas seja como for, o objetivo da frase é sublinhar o carácter da hipérbole, uma coisa exagerada, difícil de acontecer. 
 

Dito isto e voltando ao real objectivo deste artigo o que efectivamente pretendo esclarecer é se um rico pode afinal entrar ou não no Reino de Deus?

Outras passagens bíblicas, tais como a do cobrador de impostos Zaqueu (ver Lucas 19:1-10), demonstram que não apenas os pobres e necessitados merecem a graça de Deus, Zaqueu era rico materialmente, mas com fé e arrependimento fez o que devia com o seu dinheiro, nunca deixando de ser rico e dessa forma obteve a graça de Deus. O problema é que poucos ricos fazem assim, pelo que na verdade para ser salvo muitas vezes mais vale ser pobre...
Mas para entendermos perfeitamente o significado desta passagem vou recorrer a um artigo com o qual não poderia concordar mais:

A Tristeza de um Jovem Rico

“A juventude e a riqueza são duas das condições humanas mais cobiçadas. Pode ser surpreendente ler de um jovem rico que conheceu Jesus e saiu triste depois deste encontro. Três dos relatos do evangelho registram esta história, cada um fornecendo detalhes para completar a narração. Mateus diz que era jovem. Lucas nos informa que era um homem de posição. Estes dois e Marcos comentam sobre a riqueza deste homem. Vamos considerar a história e suas lições.
 
Jesus estava nas últimas semanas do seu ministério e havia atravessado o rio Jordão para passar pela região conhecida como Pereia, ao lado oriental do Jordão. Ele voltaria logo para entrar em Jerusalém, confrontar os líderes e ser rejeitado e crucificado. O jovem aproximou-se de Jesus e fez a pergunta mais importante que qualquer um poderia fazer: “Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna?” (Marcos 10:17). Antes de responder à pergunta, Jesus frisou o significado das palavras escolhidas pelo homem. Se só Deus é bom, o jovem implicitamente reconheceu a divindade e, por isso, a autoridade de Jesus. Quando Jesus, poucos minutos depois, fez dele uma grande exigência, o homem precisava entender que esta instrução veio do próprio Deus.
Jesus começou com as coisas que este rico já entendeu, citando alguns dos 10 mandamentos dados por Deus aos israelitas 1.400 anos antes. Este líder conhecia e guardava estes mandamentos. Esta obediência aos mandamentos do Senhor e a busca da vida eterna mostraram uma atitude boa, e Jesus olhou para este jovem e o amou (Marcos 10:21). Jesus o amou tanto que falou a verdade, mesmo correndo o risco de o homem virar as costas e rejeitar sua palavra. Jesus viu que o problema do jovem não foi uma questão de obediência visível a alguma regra, e sim questão das prioridades da vida. Jesus falou para ele vender todos os seus bens e dar aos pobres o dinheiro. Assim, ele poderia seguir ao Mestre (Mateus 19:21).
 
Antes de comentar sobre a reação do homem, vamos pensar na exigência de Jesus. Alguns têm usado este caso para estabelecer a pobreza como condição de serviço ao Senhor, mas o resto do Novo Testamento corrige esta aplicação errada, pois encontramos cristãos fiéis a Deus e ainda ricos materialmente. Nem todos os ricos precisam vender todos os bens materiais para servir a Deus, mas devem reconhecer seus bens como ferramentas e usá-los conforme os princípios de amor que o Senhor nos ensina (1 Timóteo 6:17-19). Não é o dinheiro, mas o amor do dinheiro que é raiz de todos os males (1 Timóteo 6:10). Este foi o problema que Jesus identificou no homem rico.
 
O dinheiro não é, necessariamente, o problema. Alguns têm dinheiro, mas não o amam, enquanto outros não têm bens materiais, mas ainda assim amam o dinheiro. Qualquer coisa que ocupa um espaço no nosso coração que impede o domínio total pelo Senhor é o problema. Pode ser dinheiro, sexo, bebidas, drogas, jogos de azar, carreira ou muitas outras coisas. Pode ser a família (Mateus 10:37) ou até a própria vida (Marcos 8:35-37). O ponto é que Jesus merece primeiro lugar no nosso coração e na nossa vida e, por isso, é preciso tirar todos os rivais.
 
Frequentemente, o dinheiro é o problema. Na busca do entendimento desta mensagem ampla, não devemos perder uma lição óbvia. Muitas pessoas, como aquele jovem rico, são impedidas de servir ao Senhor por causa do dinheiro. Podem ser pobres que trabalham tanto que não têm tempo para Deus, ou ricos que se orgulham das suas conquistas materiais.
 
Há mais uma mensagem forte no final desta história do jovem rico. Depois de ouvir as palavras de Jesus, ele saiu triste. Não sabemos o que o homem decidiu depois de mais reflexão, mas sabemos que Jesus não impediu que fosse embora. Jesus não tentou amenizar o impacto das suas palavras, e não ofereceu para ele um caminho mais suave com menos sacrifício. Jesus exigiu dele a mesma coisa que exige de qualquer um de nós que queira ser seu discípulo e herdar a vida eterna: ele quer 100% de quem somos, e nada menos!”
–por Dennis Allan
http://www.estudosdabiblia.net/jbd134.htm
 
"Todos sabemos que as riquezas podem realmente nos trazer problemas, os três maiores perigos das riquezas, de acordo com William Barclay, ao comentar S. Mateus 19:24 são estes:
 
1º) As posses numerosas fomentam uma falsa independência.
Quem tem bens materiais é inclinado a pensar que pode vencer qualquer situação inesperada. O dinheiro leva a pessoa a pensar que pode comprar o caminho da felicidade, bem como aquele que o livrará da dor. Pensa ainda que pode afastar todas as dificuldades sem Deus.
 
2º) As riquezas prendem as pessoas a este mundo.

“Porque onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração.” .

 Mat. 6:21.
Se tudo o que o homem deseja pertence a este mundo, se todos os seus interesses estão centralizados aqui, nunca pensa em ir ao mundo do além. Apegado demasiadamente à Terra é possível esquecer que há um Céu.
 
3º) As riquezas tendem a fazer a pessoa egoísta.
Por mais que possua é natural ao homem desejar um pouco mais. O suficiente é sempre um pouco mais do que se tem. A pessoa que chegou a desfrutar do luxo e da comodidade sempre tende a temer viver sem eles. A vida se converte em uma luta cansativa para reter o que se possui. O resultado é que quando o homem enriquece, em lugar de sentir o impulso de dar, só experimenta o desejo de prender-se às coisas. O seu instinto o leva a possuir mais e mais, em busca da segurança, que crê, as coisas lhe possam dar."
(Fonte (2))
Sendo assim devemos policiar estes sintomas e se não os dominamos devemos mudar a nossa atitude perante o dinheiro e a riqueza material.
 

Conclusão:

Com este artigo pretendi demonstrar como devemos encarar os nossos bens materiais, Jesus não deseja a nossa pobreza material, mas Ele sabe que se não soubermos gerir as nossas prioridades a riqueza pode-se tornar um grande problema espiritual, e essa é a lição a tirar desta passagem.
Faça uma introspecção sobre a lição ensinada por Jesus, verifique as suas prioridades e com certeza a verdadeira riqueza virá ter consigo.
Abraço!
 

"Pois vocês conhecem a graça de nosso Senhor Jesus Cristo que, sendo rico, se fez pobre por amor de vocês, para que por meio de sua pobreza vocês se tornassem ricos."

2 Coríntios 8:9
 
 

Fonte:

CAMELO PELO FUNDO DE UMA AGULHA?

paulo.blogtok.com/blog/5164/