Abordagem exegética à “cura dos endemoniados gadarenos”-Parte 2- A Escolha entre Jesus e os porcos

16/09/2014 11:27
                                     
Veja primeiro:
Abordagem exegética à “cura dos endemoniados gadarenos”-Parte 1- Apologética
http://www.nunes3373eb.com/news/abordagem-exegetica-%c3%a0-%e2%80%9ccura-dos-endemoniados-gadarenos%e2%80%9d-parte-1-apologetica/
 

Parte 2

Agora que já enquadramos geograficamente a região deste acontecimento, vamos então passar à exegese desta importante passagem dos endemoniados de Gadara.
Antes de mais convém referir que Jesus como criador do universo sabe tudo e todas as coisas, digo isto pois nesta passagem, como veremos, parece que Jesus é de certa forma surpreendido por alguns acontecimentos, mas talvez não seja esse o caso, antes pelo contrário, Jesus na verdade estaria a demonstrar algo muito mais amplo que a mensagem óbvia.
Mas antes disso a primeira lição que devemos tirar é a da existência da chamada;
 

1-Possessão demoníaca

A história do endemoniado Gadareno revela que por trás deste mundo visível, físico e palpável, há uma outra realidade, a espiritual, onde ocorre uma verdadeira batalha.
Ainda que não consigamos vê-la com nossos olhos materiais, Jesus traz à luz da revelação, que existe um sistema de forças invisíveis e organizadas, cuja intenção é totalmente maléfica.
Os endemoniados de Gadara são um bom exemplo do que acontece a quem se afasta da luz do Criador, num dos meus artigos já expliquei que tudo neste universo é vibração e o nosso DNA funciona como um receptor da nossa consciência (1).
Ora se a nossa vibração se torna mais densa, isto é, se harmoniza com o lado das trevas e do pecado, está aberta à porta a que se possa sofrer de possessão demoníaca, pois as frequências vibratórias do hospedeiro (vítima) e do parasita (demónio) se harmonizam.
Conforme já disse, demónios são entidades hiperdimensionais, ou seja movem-se noutra dimensão que não vemos, mas podem caso encontrem um hospedeiro viável, parasitar humanos de forma a se alimentarem das suas emoções e energia, aliás esse é o seu grande objectivo.
Em casos muito graves o hospedeiro pode ser levado à total loucura pois a quantidade de parasitas pode ser elevadíssima, impedindo qualquer raciocínio por parte do homem possuído.
E chegamos então ao segundo ponto da nossa abordagem:
 

2-A chegada de Jesus

Quando Jesus chega à região de Gadara, de imediato os endemoniados o reconhecem e sabem que Jesus é seu opositor.
Vamo-nos focar no endemoniado proeminente. Este homem por causa dos espíritos malignos, perdeu sua casa, família, sua identidade, e se tornou um fugitivo, tentavam prende-lo, mas não conseguiam devido ao seu estado de possessão demoníaca.
Não sabemos há quanto tempo ele estava neste estado, mas as pessoas o evitavam, pois ele era imundo aos olhos da sociedade, vivia nos sepulcros e era um homem abandonado por todos, até ao dia que Jesus Cristo veio ao seu encontro.
Jesus é opositor a este tipo de vida, Jesus é a verdadeira vida, é a libertação do mal e a libertação completa de qualquer tipo de vida que conduz à morte física e espiritual.

O que Jesus trouxe a este homem:

-Jesus valorizou aquele homem.
Jesus atravessa um trajeto perigoso para salvar um único homem.
-Jesus o libertou.
Os demónios não oferecem resistência a Jesus, porque sabiam que não tinham a menor condição para tal. Porque onde Jesus se faz presente, o diabo deve bater em retirada. Onde há luz as trevas se dissipam (1 Jo 3:8).
- Jesus devolveu a dignidade a este homem.
– Jesus deu-lhe uma missão.
 Aquele homem deveria voltar para casa e reconstruir o seu lar. Refazer a sua vida e pregar o evangelho:

Jesus, porém, não lho permitiu, mas disse-lhe: Vai para tua casa, para os teus, e anuncia-lhes quão grandes coisas o Senhor te fez, e como teve misericórdia de ti.

Marcos 5:19
 
Resumindo, Jesus salvou um homem que à primeira vista estava irremediavelmente perdido!
 
Dito isto avancemos então para a primeira questão em que Jesus parece de certa forma surpreendido;

E perguntou-lhe: Qual é o teu nome? E lhe respondeu, dizendo: Legião é o meu nome, porque somos muitos.

Marcos 5:9
Ele pergunta o nome ao possuído. Mas se os demónios o reconheciam, será que Jesus não os reconhecia também a eles, sabendo que eram muitos?
É óbvio que sim, Jesus apenas pergunta para que saibamos e fique registado como estas entidades maléficas atacam. Eles atacam em grupo organizado e em elevado número, sabemos pela história que uma legião romana variava entre os 1.000 e os 8.000 homens, ora as demoníacas não sabemos, mas como os demónios mesmo respondem:

"Legião é o meu nome, porque somos muitos."

 

3- O objetivo dos demónios

Além do óbvio motivo de manter esse homem cativo até ao dia da sua morte física, vemos que os demónios sem hospedeiro ficam numa posição incómoda, além de não terem como se alimentar eles são como sugados para o abismo, uma atração forte que os conduz para regiões que desconhecemos mas que pelo descrito só levam ao tormento:

"E rogavam-lhe que os não mandasse para o abismo."

Lucas 8:31
 
Sendo assim, vemos que a Legião de demónios tenta como de certa forma ludibriar Jesus. Reparem que uma legião é uma força muito grande, eles unem os seus intelectos de forma a se tornarem um só com muita força e conhecimento, pelo que talvez tenham pensado numa forma de tentar enganar o nosso mestre ou de pelo menos prejudicar a sua missão naquele território que aparentemente lhes era favorável.
Sabendo então que Jesus jamais permitiria a possessão de seres humanos, os demónios rogam a Jesus que lhes permita ficar naquela região (que seria com certeza uma região onde encontrariam muitas presas humanas fáceis devido a ser uma região fortemente pagã), e vendo uma vara de 2000 porcos pedem a Jesus que lhes permita entrar nesses animais.
(Como nota paralela vemos também aqui que este tipo de entidade demoníaca também consegue possuir formas de vida animal e que para eles isso é melhor que nada.)
 

4-A morte dos porcos

 
E agora mais uma vez vemos uma atitude, à primeira vista intrigante de Jesus, Ele permite que os demónios possuam os porcos!
E aqui convém abrir um parênteses, vejo muitos críticos anti-Jesus querer mostrar muita pena destes animais, alegando que Jesus não devia ter permitido a possessão dos porcos e que não mostrou o devido respeito pelos animais, mas na verdade Jesus com essa atitude dá uma grande lição a toda a humanidade, como veremos no próximo ponto.
Uma outra coisa estranha que acontece é que os porcos sabem nadar pelo que atirarem-se em pânico pelo desfiladeiro abaixo e morrerem, nos leva a pensar que na verdade os demónios poderão ter causado todo este incidente propositadamente de forma a deixar Jesus numa posição incómoda relativamente aos habitantes daquela região.
Aliás quando analisamos as versões em grego vemos que o verbo “afogar” está no passivo (foram afogados), enquanto que a maioria das traduções o tem no ativo (se afogaram) podendo aqui causar uma certa confusão sobre o que verdadeiramente aconteceu, no meu entender os demónios provocaram a morte dos porcos!
O fato de infligirem tamanha perda material aos habitantes daquela região seria realmente um motivo para que as pessoas daquela região tivessem que se posicionar a favor ou contra Jesus, e isso leva-nos à principal mensagem desta passagem:
 

5-O valor de uma vida humana para Jesus e a grande lição desta passagem

 
É que na verdade Jesus não foi em nada surpreendido pela atitude dos demónios, Ele mesmo já previa este comportamento da parte deles.
Na realidade só compreenderemos a atitude de Jesus à luz do próprio contexto. Primeiramente devemos observar que os demónios pediram a Jesus que não os atormentasse. A palavra grega é basanizo que significa atormentar, mas que tem a sua origem na luta no mar contra ventos contrários. Ou seja, estavam pedindo a Jesus que não os atormentassem fazendo oposição a eles. Isto significa que estavam à vontade naquela região, sem qualquer tipo de oposição por parte de qualquer pessoa.
Em seguida observe-se que os demónios não queriam sair daquela região, o que significa também que estavam à vontade naquele lugar, podendo agir livremente.
E finalmente atente-se para o fato de que os tomadores de conta dos porcos, após a destruição da manada, saíram pela região a contar o que acontecera. Vindo pessoas de toda a região, viram o endemoniado sentado, vestido e em perfeito juízo e temeram. Mas logo os que presenciaram os acontecimentos (os tomadores de conta dos porcos) disseram o que acontecera ao endemoniado e acerca dos porcos. O texto deixa claro que esta era a preocupação deles e que, logo em seguida começaram a rogar a Jesus que saísse da sua terra.
O que se conclui é que aquela terra era um lugar propício aos demónios. Ao permitir que eles destruíssem a manada de porcos, Jesus estabeleceu uma situação que faria com que os habitantes daquele lugar se posicionassem com respeito a Ele, o Salvador!
Ou se alegravam com a sua presença poderosa contra as trevas naquele lugar, ou rejeitavam a sua presença em prol da continuidade de suas vidas materiais. Ou se alegravam com a libertação do endemoniado a quem viram completamente transformado, ou se entristeciam com Jesus por ter permitido que seus porcos fossem destruídos.
O amor aos porcos falou mais alto e eles pediram a Jesus que se fosse dali...
 
Na verdade esta era a grande lição que Jesus procurava nos mostrar, que uma vida humana para Ele, vale mais do que tudo, seja dinheiro ou mesmo vidas de animais, pois na realidade os animais são sua criação e têm como único objectivo a beleza do mundo e o auxílio ao próprio homem e não nos esqueçamos que na verdade;
QUEM MATOU OS PORCOS FORAM OS DEMÓNIOS…e não Jesus!
Hoje quando vemos os supostos defensores dos porcos a atacarem Jesus, no fundo só assistimos à mesma cena de há 2000 anos atrás, quando os homens da região de Gadara pediram a Jesus para se retirar da sua região. As vidas humanas são secundárias para essas pessoas e apenas arranjam pretextos infundados para atacarem quem deu a sua vida por eles!
 

6-Conclusão

Meus amigos realmente Jesus não vem trazer consenso mas sim divisão, a divisão entre quem deseja um mundo mais justo e percebe o que está em causa nesta realidade (salvação de almas humanas) e entre aqueles que defendem o próprio mundo e os seus bens materiais. Não é possível ficar em cima do muro neste caso, ou nos posicionamos devidamente ao lado de Jesus Cristo ou na verdade estamos contra Ele. 
É necessário tomar uma posição final e decidir o que é mais importante na nossa vida; se Deus, se o mundo.
A meu ver é completamente inacreditável como alguns ainda criticam o comportamento de Jesus nesta passagem, desvalorizando a salvação de alguém que no final se tornou um missionário para salvação em nome de Jesus nessa região, promovendo a salvação de muitas outras pessoas, mas infelizmente tal como há 2000 anos atrás, uma grande parte da humanidade ainda valoriza o dinheiro e os bens materiais acima da salvação da vida humana, escondendo-se atrás da hipocrisia.
E não me interpretem mal, se há alguém que adora animais é Jesus, assim como eu. Mas a salvação de uma alma humana das garras de satanás tem para mim um valor muito maior pois os animais têm o seu lugar garantido no paraíso e o mesmo não podemos dizer do homem!
Escolha você também de que lado quer estar, pois em cima do muro, por muito triste que seja, neste mundo é estar do lado de satanás e seus demónios.
Um abraço!
 
Referências:

(1) A linhagem sanguínea do Anticristo (parte 3.1) - As causas da guerra 

http://www.nunes3373.com/news/a-linhagem-sanguinea-do-anticristo-parte-3-1-as-causas-da-guerra/
 
Fontes:
 

A libertação do endemoninhado gadareno

http://prdanielsampaio.blogspot.pt/2009/03/libertacao-do-endemoninhado-geraseno.html

http://evangelistaneisaldanha.blogspot.pt/2013/05/a-libertacao-do-endemoninhado-gadareno.html

O Endemoninhado Gadareno

http://www.rudecruz.com/o-endemoninhado-gadareno-batalha-espiritual-estudo-biblico.php