Abordagem exegética à “cura dos endemoniados gadarenos”-Parte 1- Apologética

08/09/2014 10:57
                                    
Antes de mais:
Exegese: é a interpretação profunda de um texto bíblico, jurídico ou literário.
Apologética: é a disciplina teológica própria de uma certa religião (no nosso caso da Bíblia) que se propõe a demonstrar a verdade da própria doutrina, defendendo-a de teses contrárias.
Hoje iremos abordar uma das passagens mais complexas do Novo Testamento:

A cura dos endemoniados gadarenos

Nesta primeira parte iremos fazer a abordagem apologética da passagem do ponto de vista da harmonização dos relatos dos diferentes evangelhos, na segunda iremos abordar a mensagem propriamente dita ou seja, fazer a exegese.

A harmonização dos evangelhos - Concordância

 
Esta é mais uma das melhores passagens para demonstrar como devemos fazer a análise quando temos a mesma história em diferentes evangelhos, neste caso ela está patente nos 3 sinópticos (Mateus, Marcos e Lucas) e logo por isso temos uma ideia da importância da mensagem.
E começamos por aqui, quando estamos perante uma história que se encontra escrita pelos diferentes evangelistas, os céticos da Bíblia tendem a procurar contradições como atitude mais cómoda, nós pelo contrário procuramos construir e examinar a amplitude total da mensagem, pois temos a história contada por diferentes pontos de vista.
Percebemos então que pelas aparentes “contradições” das quais é acusada, que a Bíblia não esteve sujeita a conluio por parte dos seus escritores, cada qual escreveu o relato de acordo com o que viu ou ouviu, pelo que oferece ainda maior confiança na integridade e veracidade do texto. 
Se não existissem diferentes pontos de vista é que seria de estranhar, por isso devemos é reter que temos 3 testemunhos diferentes dum mesmo relato, atestando assim a total veracidade da história.
Vamos iniciar pelos diferentes relatos recorrendo à versão NVI (a negrito as partes importantes para a análise que faremos nesta parte):

1-MATEUS:

“Quando ele chegou ao outro lado, à região dos gadarenos, foram ao seu encontro dois endemoninhados, que vinham dos sepulcros. Eles eram tão violentos que ninguém podia passar por aquele caminho.

Então eles gritaram: "Que queres connosco, Filho de Deus? Vieste aqui para nos atormentar antes do devido tempo? "

A certa distância deles estava pastando uma grande manada de porcos.

Os demônios imploravam a Jesus: "Se nos expulsas, manda-nos entrar naquela manada de porcos".

Ele lhes disse: "Vão! " Eles saíram e entraram nos porcos, e toda a manada atirou-se precipício abaixo, em direção ao mar, e morreu afogada.

Os que cuidavam dos porcos fugiram, foram à cidade e contaram tudo, inclusive o que acontecera aos endemoninhados.

Toda a cidade saiu ao encontro de Jesus, e quando o viram, suplicaram-lhe que saísse do território deles.

Mateus 8:28-34
 

2-MARCOS:

“Eles atravessaram o mar e foram para a região dos gerasenos.

Quando Jesus desembarcou, um homem com um espírito imundo veio dos sepulcros ao seu encontro.

Esse homem vivia nos sepulcros, e ninguém conseguia prendê-lo, nem mesmo com correntes;

pois muitas vezes lhe haviam sido acorrentados pés e mãos, mas ele arrebentara as correntes e quebrara os ferros de seus pés. Ninguém era suficientemente forte para dominá-lo.

Noite e dia ele andava gritando e cortando-se com pedras entre os sepulcros e nas colinas.

Quando ele viu Jesus de longe, correu e prostrou-se diante dele,

e gritou em alta voz: "Que queres comigo, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Rogo-te por Deus que não me atormentes! "

Pois Jesus lhe tinha dito: "Saia deste homem, espírito imundo! "

Então Jesus lhe perguntou: "Qual é o seu nome? " "Meu nome é Legião", respondeu ele, "porque somos muitos".

E implorava a Jesus, com insistência, que não os mandasse sair daquela região.

Uma grande manada de porcos estava pastando numa colina próxima.

Os demônios imploraram a Jesus: "Manda-nos para os porcos, para que entremos neles".

Ele lhes deu permissão, e os espíritos imundos saíram e entraram nos porcos. A manada de cerca de dois mil porcos atirou-se precipício abaixo, em direção ao mar, e nele se afogou.

Os que cuidavam dos porcos fugiram e contaram esses fatos na cidade e nos campos, e o povo foi ver o que havia acontecido.

Quando se aproximaram de Jesus, viram ali o homem que fora possesso da legião de demônios, assentado, vestido e em perfeito juízo; e ficaram com medo.

Os que o tinham visto contaram ao povo o que acontecera ao endemoninhado, e falaram também sobre os porcos.

Então o povo começou a suplicar a Jesus que saísse do território deles.

Quando Jesus estava entrando no barco, o homem que estivera endemoninhado suplicava-lhe que o deixasse ir com ele.

Jesus não o permitiu, mas disse: "Vá para casa, para a sua família e anuncie-lhes quanto o Senhor fez por você e como teve misericórdia de você".

Então, aquele homem se foi e começou a anunciar em Decápolis quanto Jesus tinha feito por ele. Todos ficavam admirados.”

Marcos 5:1-20                
 

3-LUCAS:                                                                                                           

“Navegaram para a região dos gerasenos que fica do outro lado do lago, frente à Galiléia.

Quando Jesus pisou em terra, foi ao encontro dele um endemoninhado daquela cidade. Fazia muito tempo que aquele homem não usava roupas, nem vivia em casa alguma, mas nos sepulcros.

Quando viu Jesus, gritou, prostrou-se aos seus pés e disse em alta voz: "Que queres comigo, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Rogo-te que não me atormentes! "

Pois Jesus havia ordenado que o espírito imundo saísse daquele homem. Muitas vezes ele tinha se apoderado dele. Mesmo com os pés e as mãos acorrentados e entregue aos cuidados de guardas, quebrava as correntes, e era levado pelo demônio a lugares solitários.

Jesus lhe perguntou: "Qual é o seu nome? " "Legião", respondeu ele; porque muitos demônios haviam entrado nele.

E imploravam-lhe que não os mandasse para o abismo.

Uma grande manada de porcos estava pastando naquela colina. Os demônios imploraram a Jesus que lhes permitisse entrar neles, e Jesus lhes deu permissão.

Saindo do homem, os demônios entraram nos porcos, e toda a manada atirou-se precipício abaixo em direção ao lago e se afogou.

Vendo o que acontecera, os que cuidavam dos porcos fugiram e contaram esses fatos, na cidade e nos campos,

e o povo foi ver o que havia acontecido. Quando se aproximaram de Jesus, viram que o homem de quem haviam saído os demônios estava assentado aos pés de Jesus, vestido e em perfeito juízo, e ficaram com medo.

Os que o tinham visto contaram ao povo como o endemoninhado fora curado.

Então, todo o povo da região dos gerasenos suplicou a Jesus que se retirasse, porque estavam dominados pelo medo. Ele entrou no barco e regressou.

O homem de quem haviam saído os demônios suplicava-lhe que o deixasse ir com ele; mas Jesus o mandou embora, dizendo:

"Volte para casa e conte o quanto Deus lhe fez". Assim, o homem se foi e anunciou a toda a cidade o quanto Jesus tinha feito por ele.”

Lucas 8:26-39                         
 
E vamos começar pela primeira polémica à volta desta história:
A cidade ou região onde foi localizado o milagre foi; Gadara, Gerasa ou Gergesa?

1-Gergesenos, Gerasenos ou Gadarenos?

 
Aparentemente existem conflitos entre os vários manuscritos sobre qual foi realmente o local, por evidências textuais os manuscritos de Mateus favorecem o termo Gadarenos, porém Marcos e Lucas sugerem Gerasenos.
Antes de mais vamos elencar os seguintes pontos:
 
1. Os textos dizem que Jesus estava na região da Galiléia e se dirigiu para a região dos “Gadarenos” (Mt) ou para a região dos “Gerasenos” (Mc e Lc);
2. Os três textos dizem que o encontro foi imediato, ou seja, perto da praia;
3. Os textos dizem que os porcos precipitaram-se num precipício no mar;
4. Os textos dizem que os donos dos porcos foram á cidade dizer o que havia ocorrido;
5. Os textos dizem que Jesus subiu novamente no barco e voltou para a Galileia assim que os donos dos barcos retornaram da cidade.
 
Sendo assim, todos estarão corretos, pois em todos os manuscritos se fala na região e não especificamente na cidade. Gadara e Gerasa eram cidades importantes naquela zona, ambas faziam parte da décapolis (1) pelo que podem ter sido por isso indicadas pelos diferentes evangelistas dependendo do ponto de vista de cada um, Mateus escreveu o seu evangelho direccionado aos judeus, Marcos e Lucas mais voltados para os estrangeiros e até por isso podem ter mencionado a cidade mais conhecida para o público-alvo.
Ainda assim entendemos que o diálogo com os endemoniados se deu de imediato após a chegada de Jesus à outra margem, e portanto junto ao mar logo não foi especificamente em nenhuma destas cidades, mas sim na sua região ou província administrativa tal como está escrito. Nos manuscritos gregos a palavra traduzida por região é “cwran” que pode significar: costa, região, campos, país, solo e terra.
As cidades:
Gadara, conhecida em nossos dias por Umm Qais. Foi uma grande cidade fortificada da Peréia, na extremidade noroeste das montanhas de Gileade, à distância de oito quilómetros ao oriente do Jordão e quase dez quilómetros a sudeste do mar da Galileia, se tornou uma das cidades mais importantes de Decápolis e com certeza muito conhecida pelos judeus.
Gerasa ficava a uns 48 km a sudeste do lago, era também uma importante cidade, era bastante romanizada e com certeza seria conhecida pelos leitores estrangeiros. Provavelmente controlaria pequenas vilas ao longo da costa do mar da galileia que estivessem sob a sua jurisdição.
Ora tanto a cidade de Gadara quanto a de Gerasa faziam parte da décapolis e eram cidades bastante habitadas por descrentes no judaísmo (gentios/estrangeiros), como se pode ver pela criação de porcos, animais considerados impuros para os judeus.
No nosso enquadramento geográfico percebemos também que quem viu o milagre posteriormente foi à cidade (não dizem qual), logo o milagre não se deu em especifico em nenhuma destas cidades e sim na sua região, tal como está escrito.
E Gergesa?
Pelo que sabemos actualmente Gergesa (não confundir com Gerasa), também conhecida por Khersa ou Kursi é muito provavelmente a localidade onde se deu este acontecimento, situa-se na costa oriental do mar da Galileia e é também o único lugar nessa margem com uma beira ingreme com vistas para o mar e onde foram também encontrados túmulos nas encostas rochosas, como era tradição na altura.

 Cavernas encontradas na região de Kursi

 Encostas ingremes para o mar da galileia também em Kursi

 
O que terá acontecido nestas passagens é que ao longo do tempo diversos copistas erradamente foram alterando o nome da cidade para uniformizar os manuscritos, pelo que hoje se torna difícil saber o que foi escrito pelos autores originais. Na nossa versão dos evangelhos nunes3373, optamos por Gadara em Mateus e Gerasa em Marcos e Lucas, pois assim nos parece que foi feito originalmente, embora outros tradutores possam discordar.

2- Eram um ou dois endemoniados?

Bem, onde existem 2, existe sempre 1 pelo que não existe contradição explícita, apenas aparente.
Mateus era sempre mais detalhista nestes pormenores numéricos, daria uma importância maior devido a seu evangelho ser escrito para os judeus, para eles era importante segundo as escrituras existirem duas testemunhas para validar um relato:
Então, ao passo que Mateus menciona dois homens, Marcos (5:2) e Lucas (8:27) centralizam a atenção apenas em um, sem dúvida porque o caso dele se destacava mais. Ele possivelmente era o mais violento e havia sofrido por mais tempo sob controlo demoníaco do que o outro homem; no entanto, depois, talvez só ele quisesse acompanhar o Filho de Deus. Portanto os outros escritores preferiram excluir detalhes irrelevantes.
Mateus foi mais detalhista em seu escrito, como aconteceu também no relato que ele fez a respeito da cura de dois cegos (Ver Mt 20.30). Quanto a Marcos e Lucas, eles se ocuparam apenas em focalizar o endemoninhado proeminente. O que devemos levar em consideração no relato desses evangelistas é o propósito de suas narrativas. Ou seja, seu ponto principal: Houve ou não o milagre da libertação? Os autores têm a mesma posição quanto ao poder de Cristo? São unânimes ao demonstrar evidências de que Jesus era de fato o Messias ou vacilam nas credenciais messiânicas? Podemos perceber, no Novo Testamento, que todos os evangelistas procuram apresentar evidências conclusivas sobre a vida, ministério, sacrifício, morte e ressurreição de Jesus. E não apenas os evangelistas, mas os inimigos de Cristo (as classes religiosas de sua época e os historiadores céticos) também registram essas evidências. Quanto aos pormenores, cada um escreveu segundo sua própria perspectiva. E faziam isso de acordo com os detalhes lhes saltavam aos olhos:
 

“O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que temos contemplado, e as nossas mãos tocaram da Palavra da vida (Porque a vida foi manifestada, e nós a vimos, e testificamos dela, e vos anunciamos a vida eterna, que estava com o Pai, e nos foi manifestada); o que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que também tenhais comunhão connosco; e a nossa comunhão é com o Pai, e com seu Filho Jesus Cristo. Estas coisas vos escrevemos, para que o vosso gozo se cumpra”

(1 Jo 1.1-4).
 
Assim se faz uma harmonização de relatos Bíblicos, e como se vê este tipo de trabalho sempre nos enriquece com mais conhecimento em diversas áreas e na verdade essa é também uma das funções da Bíblia, quem procura, acha!
Na segunda parte iremos analisar quais as lições propriamente ditas que podemos tirar desta importante passagem.
Continua...
Um abraço
 

Referências:

(1)Décapolis
http://pt.wikipedia.org/wiki/Dec%C3%A1polis

Fontes:

Descontradizendo Contradições bíblicas- Gerasa, Gersesa ou Gadara?

https://www.facebook.com/descontradizendocontradicoes/posts/549214501756337
 

Questions on Mark's Geographical Ignorance... Gadara versus Gerasa and the problem of the Long Trip Home

 

ISRAEL PHOTOS III  -- A COLLECTION OF PHOTOS FROM ISRAEL