A Rainha de Sabá, os Ninivitas e o seu exemplo para esta geração

08/11/2017 11:23
                       
 
Aumentando a multidão, Jesus começou a dizer: "Esta é uma geração perversa. Ela pede um sinal miraculoso, mas nenhum sinal lhe será dado, exceto o sinal de Jonas.
Pois assim como Jonas foi um sinal para os ninivitas, o Filho do homem também o será para esta geração.
A rainha do Sul se levantará no juízo com os homens desta geração e os condenará, pois ela veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão, e agora está aqui o que é maior do que Salomão.
Os homens de Nínive se levantarão no juízo com esta geração e a condenarão; pois eles se arrependeram com a pregação de Jonas, e agora está aqui o que é maior do que Jonas".
Lucas 11:29-32
 
Este texto retrata o coração duro das pessoas na época de Jesus Cristo, mas serve também para elucidar a presente geração de dois importantes parâmetros que serão usados por Deus no seu julgamento à mesma.
Jesus menciona dois exemplos do Velho Testamento como retrato de indivíduos que se levantarão em juízo contra aqueles que tendo acesso às suas palavras e à multiforme sabedoria de Deus por intermédio de Jesus Cristo optam por não o conhecer ou então por não se arrependerem ouvindo a pregação de sua palavra.
 
 

A rainha do Sul (Sabá) – Aquela que buscou sabedoria

 
A rainha de Sabá foi uma célebre soberana do antigo Reino de Sabá, reino mais poderoso da Arábia Feliz. A localização deste reino pode ter incluído os atuais territórios da Etiópia e do Iémen.
Jesus cita o exemplo da rainha de Sabá que veio de muito longe, para ver de perto o que tinha ouvido falar sobre o rei Salomão e seu Deus. Ela viajou cerca de dois mil quilómetros (uma distância “enorme” na altura), até Jerusalém, para comprovar a sabedoria e a grandeza do rei de quem tinha ouvido falar. Fez perguntas difíceis e viu a prosperidade do reino de Salomão, afirmando:
Não me contaram nem a metade! Sobrepujas em sabedoria e prosperidade a fama que ouvi”, disse ela, conforme I Reis 10:7.
A sabedoria de Salomão foi um testemunho para a rainha que exclamou depois de tudo que viu e ouviu: “BENDITO O SENHOR TEU DEUS”!
A rainha mostrou curiosidade em comprovar a tal grandeza e sabedoria de Salomão e por isso mereceu o respeito divino. Jesus afirma que Ele é ainda maior que Salomão e isso é verdadeiramente indiscutível pois quem conhece as palavras de Jesus é obrigado a reconhecer a sua enorme sabedoria, inteligência e majestade. Tanto assim é que Jesus mudou o mundo, o seu nascimento divide a história em duas épocas e o seu discurso intemporal. A prática dos ensinamentos de Jesus transformaria este mundo caído novamente no Paraíso perdido pela humanidade.
Mesmo assim muitos, ainda que tendo “ouvido falar” da grandeza de Jesus, não procuram ao menos conhecê-lo. Esses arranjam as mais variadas desculpas para não lerem suas palavras. Dizem que não confiam nas igrejas, mas as igrejas não são Jesus. Dizem que a Bíblia foi alterada, mas ignoram como os textos do Novo Testamento são históricamente os mais fiáveis a que temos acesso da litreratura antiga. Dizem que Jesus está morto, mas não averiguam se existem realmente provas de sua ressurreição, não se preocupando em investigar sem preconceitos se historicamente realmente isso aconteceu. Entre as mais variadas desculpas…
A verdade é que a ignorância por vontade própria será julgada e não servirá de desculpa, antes pelo contrário. Ninguém pode criticar o que não conhece e se o faz, automaticamente se condena.
 
 

Os Ninivitas - Aqueles que se arrependeram

 
Jesus deu ainda o exemplo dos ninivitas, povo que praticava atrocidades guerreando contra nações vizinhas por séculos. Nínive era uma das maiores cidades do mundo, situada à margem oriental do Tigre a cerca de seiscentos quilómetros do Mar Mediterrâneo. Era a capital da Assíria, que imperava naqueles dias. Nínive era tão grande em iniquidade quanto em riqueza e poder. Os ninivitas eram conhecidos pela crueldade com que tratavam os seus inimigos. Mas a medida da iniquidade dos ninivitas tinha chegado aos Céus e Deus enviou o profeta Jonas para os avisar do julgamento divino que viria sobre eles e isso acabou por ser um sinal de arrependimento e conversão dos ninivitas, tendo estes sido poupados.
Hoje em dia também muitos pregam o evangelho, alertando sobre as consequências da sua rejeição e do julgamento vindouro sobre esta geração. Mas muitos ignoram, outros desprezam e ainda há até quem escarneça. Pois bem, esses que não se arrependem serão julgados de acordo com as suas palavras e ações. Deus é longânimo e misericordioso, mas os impenitentes que nunca se arrependem serão julgados de acordo.

 

Conclusão

 
A rainha de Sabá e os ninivitas servem-nos então de exemplo de como é possível obter a misericórdia de Deus, mas eles também servem de alerta para o perigo de o ignorarmos por vontade própria.
Enquanto a rainha de Sabá nos deu o exemplo de mostrar interesse em conhecer alguém de quem se falava ter uma imensa sabedoria, para poder por ela mesma tirar as suas conclusões, os ninivitas por sua vez se arrependeram dos seus maus caminhos, quando avisados por um profeta de Deus do julgamento vindouro.
A geração de Jesus não conseguiu reconhecer quem Ele era, apesar dos milagres e sinais e de sua poderosa Palavra. Fica a lição para nós hoje: Precisamos buscá-lo,  reconhecê-lo, perceber sua graça e sua mensagem, pois hoje temos acesso a quem é maior que Salomão e que Jonas.
 

Fontes:

 
Wikipédia
 
O BOM EXEMPLO DA RAINHA DE SABÁ E DOS NINIVITAS
http://predilsonramos.blogspot.pt/2015/09/o-bom-exemplo-da-rainha-de-saba-e-dos.html
 
O Arrependimento e a Conversão dos Ninivitas
http://www.adjabaquara.com.br/mensagens/20.01.2013.html