A Parábola das 10 virgens – Um aviso para o tempo do fim

12/04/2016 14:37
                       
"O Reino dos céus, pois, será semelhante a dez virgens que pegaram suas candeias e saíram para encontrar-se com o noivo. Cinco delas eram insensatas, e cinco eram prudentes. As insensatas pegaram suas candeias, mas não levaram óleo consigo. As prudentes, porém, levaram óleo em vasilhas juntamente com suas candeias. O noivo demorou a chegar, e todas ficaram com sono e adormeceram. À meia-noite, ouviu-se um grito: ‘O noivo se aproxima! Saiam para encontrá-lo!’ Então todas as virgens acordaram e prepararam suas candeias. As insensatas disseram às prudentes: ‘Dêem-nos um pouco do seu óleo, pois as nossas candeias estão se apagando’. Elas responderam: ‘Não, pois pode ser que não haja o suficiente para nós e para vocês. Vão comprar óleo para vocês’. E saindo elas para comprar o óleo, chegou o noivo. As virgens que estavam preparadas entraram com ele para o banquete nupcial. E a porta foi fechada. Mais tarde vieram também as outras e disseram: ‘Senhor! Senhor! Abra a porta para nós! ’ Mas ele respondeu: ‘A verdade é que não as conheço! ’ Portanto, vigiem, porque vocês não sabem o dia nem a hora!"
Mateus 25 1.13
 

Introdução

A parábola das 10 virgens é de fundamental importância para o tempo que vivemos uma vez que trata exatamente do período de retorno do Senhor Jesus a este mundo. Nesta parábola Jesus conta a história de dez virgens há espera de um noivo, sendo cinco prudentes e cinco insensatas. Cada uma levava consigo uma lâmpada acesa, porém, como o noivo demorou a chegar, as lâmpadas das cinco mulheres insensatas se apagaram pois não carregavam óleo suficiente para manterem a chama acesa. Essas cinco virgens, então, tiveram que sair para comprar mais óleo, mas quando voltaram, o noivo havia recebido as cinco virgens prudentes, deixando as outras de fora da festa.
 

O que podemos aprender

O contexto
Quando proferiu esta parábola Jesus estava sentado no Monte das Oliveiras e falava aos seus discípulos sobre os acontecimentos dos últimos dias e sobre a sua segunda vinda a este mundo. A parábola das Dez Virgens traz então uma mensagem de alerta para nos despertarmos espiritualmente para os dias que antecedem o seu retorno.
Uma festa de casamento na Palestina
A narrativa da parábola acontece em uma festa de casamento judaico, com todos os personagens que a envolvem. É costume da região estas festas durarem dias, e o acontecimento principal era o encontro do noivo com a noiva. Para este encontro esperado, as amigas da noiva (virgens) permaneciam com a noiva na espera ritual da chegada da comitiva do noivo formada por ele e seus amigos. Após o encontro, a festa tinha o início selando a união matrimonial.
Vemos então que as “virgens” da parábola não são noivas (como muitas vezes erradamente se pensa), mas sim amigas solteiras da noiva que segundo o costume dos casamentos judaicos da época muitas vezes esperavam pelos noivos junto à casa onde se daria o banquete nupcial, eram uma espécie de madrinhas de casamento. Este esclarecimento deve ser dado pois em muitos casos Jesus é apresentado como o noivo dum casamento em que a noiva representa a igreja cristã, mas isso não tem que ser uma regra das parábolas, nesta, em específico, as "virgens" representam a comunidade cristã. Mas para o total entendimento, vamos então analisar o simbolismo de cada personagem para melhor compreensão:
 
-O Noivo: É Cristo. Sua chegada representa as bodas do Cordeiro, a segunda vinda à terra.
-Virgens: Representam a igreja cristã, ou seja todos os "crentes" convidados para o casamento. São 10 pois o número 10 na Bíblia geralmente representa plenitude/totalidade, neste caso dos "crentes" em Jesus.
-O Azeite: Representa o espírito santo que habita o verdadeiro crente, aquele que verdadeiramente acredita e efetivamente trabalha para o Reino de Deus neste mundo.
 
Ora sendo a igreja a representação de todos os cristãos, vemos aqui um claro aviso de Jesus a todos os ditos "crentes" para estarem preparados para a sua volta. E porquê as aspas na palavra crentes?
Infelizmente sabemos que muitos apenas se dizem cristãos, mas na verdade não praticam os ensinos de Jesus, muitos até frequentam igrejas mas na verdade, em sua vida prática, são tudo menos cristãos e verdadeiramente nem se acreditam no evangelho, vivem na ambiguidade, e nas suas atitudes parecem acender uma vela para Deus e outra para o diabo.
É certo que somos salvos apenas por graça (basta acreditar em Jesus) e não por nossas obras, mas eu pergunto: 
-Será que quem realmente acredita em Jesus se continua a comportar como se ele não existisse?
Para mim é óbvio que não, todo o verdadeiro crente se interessa em ter o melhor comportamento cristão possível, seja em sua conduta na vida e também em seu estudo e divulgação da palavra de Deus, não basta se dizer "cristão" para ser aprovado.
Nenhum verdadeiro cristão encara de ânimo leve manter os seus pecados de estimação, ainda que não seja fácil mudar, a tentativa para tal será feita.

Necessidade de vigilância

Com esta parábola Jesus avisa que além de ser necessário vigiar para saber programar a chegada do noivo, ele alerta ainda que é necessário que o cristão esteja e se mostre preparado para tal. Essa preparação é exemplificada pelo azeite que se traduz na presença do espirito santo na vida do crente, em suas actividades e responsabilidades espirituais, sejam elas de oração, leitura da Bíblia, espirito missionário ou evangelista e no amor fraternal.
As virgens insensatas representam então os hipócritas, professam-se cristãos mas andam fora da linha do cristianismo, têm uma falsa devoção e muitas vezes nem creem verdadeiramente que a Bíblia é a total verdade.
As virgens prudentes representam os cristãos cautelosos e previdentes que mantêm uma vida cristã de vigilância e espiritualidade. Estas características são únicas a cada um e não se podem emprestar, ou se tem e faz, ou não, é tão simples quanto isso.
A mensagem da parábola é então óbvia, todos os que desprezarem a vigilância e o viver cristão verdadeiro ficarão de fora do reino, de nada adiantará se dizerem cristãos, pois como o noivo disse: ‘A verdade é que não as conheço! ’
 

Indicação da volta de Jesus

A palavra termina com a frase:
"Portanto, vigiem, porque vocês não sabem o dia nem a hora!"
Realmente o dia e a hora do regresso de Jesus ninguém sabe, mas a época aproximada de seu retorno é possível saber se exatamente vigiarmos. E nesta parábola mais uma vez Jesus sinaliza a época de sua vinda. Especificamente nos versos 5 e 6, lemos:
"O noivo demorou a chegar, e todas ficaram com sono e adormeceram. À meia-noite, ouviu-se um grito: ‘O noivo se aproxima! Saiam para encontrá-lo!’"
Então, pela parábola acima mencionada, o Senhor Jesus nos diz que o noivo virá à meia-noite. Acontece, que para os Judeus do período de dominação romana, a noite era dividida em quatro vigílias, quais sejam:
1ª vigília - das 18:00 às 21:00 horas;
2ª vigília - das 21:00 horas às 24:00 horas;
3ª vigília - das 24:00 horas às 03:00 horas;
4ª vigília - das 03:00 horas às 06:00 horas.
Mas também na Bíblia, no livro de Salmos, no capítulo 90, versículo 4, temos que; "Porque mil anos são aos teus olhos como o dia de ontem que passou, e como a vigília da noite.", o que nos leva a entender, que para Deus, mil anos são como uma vigília da noite.
Ora, se o noivo virá à meia-noite, então o mesmo virá no período entre o término da segunda vigília e o início da terceira vigília. Mas, se para Deus mil anos são como a vigília da noite, então, nosso Senhor virá entre o término do segundo milénio, e o início do terceiro milénio, que é exactamente o tempo que vivemos.
Mais uma vez vemos que o tempo da chegada de Jesus é aproximadamente o que vivemos atualmente, pelo que devemos avaliar se nos andamos a comportar de acordo com as virgens prudentes ou como as loucas...
 

Conclusão

Esta é mais uma maravilhosa parábola com sentido profético e escatológico. Ela nos dá uma lição de previdência para não sermos apanhados de surpresa quando do fim dos tempos, deixando bem claro da necessidade de estar preparados para a volta de Jesus. Avaliemos então a nossa conduta diária para saber se estamos realmente prontos, oremos, estudemos o evangelho e digamos a verdade ao mundo, pois o tempo é próximo e depois pode ser tarde de mais para participar da grande festa de casamento que está a ser preparada por nosso Deus para todos aqueles que realmente o amam e esperam ansiosamente a sua chegada!
Maranatá Senhor Jesus!
 

Fontes e Referências:

Quem são as virgens na parábola das dez virgens? O noivo e a noiva? Por quê?
www.abiblia.org/ver.php?id=3821
QUANDO SERÁ A VOLTA DE JESUS? - PARTE 3
http://geracaodafigueira.blogspot.pt/2012/02/quando-sera-volta-de-jesus-parte-3.html
As dez virgens | Mateus 25:1-13
http://www.pastorantoniojunior.com.br/mensagens-evangelicas/as-dez-virgens-parabolas-de-jesus
Trecho do livro “Parábolas de Jesus”  de ElIenai Cabral